quinta-feira, novembro 13, 2008

Ouvir ao Vivo...

... Vitorino, na aula magna. A evocação de alguns dos nossos melhores escritores, poetas e autores sabe sempre bem. Relembra-nos aquela nossa grandiosidade que teimamos ignorar tantas vezes, e faz-nos enterrar um pouco mais os pés na terra, mostrando que a realidade daquilo que é mais simples e aparentemente (apenas) mais primário, é muitas vezes aquilo que de mais belo podemos ler, escutar e sentir. A destacar na noite: textos de Manuel Alegre, António Lobo Antunes e como não podia deixar de ser, José Afonso; uma interpretação magnífica de Janita Salomé; os copos de tinto que músicos e cantores sorveram durante o espectáculo (à homem, nada de mariquices de garrafinhas de água); o facto de curiosamente me sentir o gajo mais novo naquela aula (não é que seja velho, mas este sentimento de ser o mais novo vai-se tornando raro). Tenho a agradecer o serão diferente à minha amiga Grila, que me fez companhia, e a valer por dois. Sabe sempre muito bem sair da rotina, mesmo que seja por apenas um par de horas. Felizmente hoje foi o caso.

2 comentários:

Susana disse...

só faltou teres comprado a t-shirt no fim do espectáculo :) mas eu compreendo que a fila de velhinhos era comprometedora.
beijinhos

Marco disse...

... e toda a gente sabe que os velhinhos ficam desvairados no que toca a aproveitar coisas de borla, como as t-shirts do Vitorino!