quinta-feira, junho 05, 2008

O Meu Amigo Sasha...

... deixou-me hoje. Por mais que custe à maioria das pessoas perceber isto, a única coisa que consigo sentir é que morreu um grande amigo meu. Não um animal de estimação, não um cão... simplesmente um amigo. Alguém com quem vivi e convivi durante mais de 11 anos, diariamente. Alguém que devido à longevidade própria da espécie, tive oportunidade de ver crescer, envelhecer e por fim, desaparecer. Lembro-me como se fosse ontem do dia em que o fui buscar. O pormenor das suas já grandes orelhas juntas em cima da cabeça... o calor que emanava enquanto viajava no meu colo... o seu receio de entrar em casa... as suas traquinices (e algumas palmadas)... os seus momentos brilhantes... as constantes demonstrações da sua capacidade de compreensão... a sua companhia sempre oportuna, nos momentos mais complicados... a sua inteligência e o seu enorme coração, até ao fim. Sinto um turbilhão de sentimentos contraditórios para com a partida deste amigo que me deu tanto e a quem sinto ter dado tão pouco, ainda que para ele tenha sempre parecido ser suficiente. Sinto-me triste por ter partido, mas de alguma forma aliviado por o seu sofrimento ter terminado, porque não partiu da forma mais pacífica (se é que tal coisa existe). A sua última expressão era serena, como se estivesse a dormir... como se finalmente estivesse descansado. Tentámos dar-lhe a dignidade que merecia neste seu último dia de existência, e como sabemos que sempre gostou de companhia e nunca quis a solidão, deixámo-lo junto a muitos outros amigos de quatro patas, de muitas outras pessoas que desejaram fazer o mesmo que nós. Apesar de as recordações nunca o deixarem partir, agora tem uma nova morada no único local que me pareceu minimamente digno dele... o cemitério do Zoo de Lisboa. Marco assim este dia como o ponto final de um ser que, apelidado por muitos de irracional, me ensinou mais do que a maioria das pessoas com quem me cruzei até hoje... um ser que contribuiu durante quase 12 anos para moldar quem eu sou... um ser que fez de mim alguém melhor. Adeus, meu grande amigo Sasha. Vais viver nos meus pensamentos, nas minhas recordações e nos meus sonhos, durante muitos e longos anos. A tua ausência vai ser sentida, mas a tua presença, ainda que efémera para nós, vai perdurar para sempre. Queria escrever mais, mas não consigo. Nada do que eu possa acrescentar será suficiente para descrever este meu amigo, nem tão pouco aquilo que sinto neste preciso momento... por isso, e como me custa reler as minhas próprias palavras, termino com a palavra... fim.

6 comentários:

Anónimo disse...

Quando eu me for, não ficarei só...
À minha espera estarão 3 SSS!!!
SMOKE
STAR
SASHA
Cada um deles com o seu jeito, comportamento e feitio próprios, diferentes de todos os outros.
O SMOKE, cruzado de Perdigueiro com Pelo de Arame, pequenote, alegre e vivo; brincalhão como só ele; quando me vir chegar, não arrebitará as orelhas, porque as dele eram caídas... mas vai pular e correr e esconder-se atrás de mim. Eterno menino que não teve tempo de crescer, tão breves foram os poucos meses da sua vida...
O STAR, filhote de Serra da Estrela e de Pastor Alemão, forte, altivo, bravio e independente; companheiro das minhas sestas de verão em tempo de férias. Foram sete anos de companheirismo e de presença imponente. Nunca esquecerei o seu olhar na despedida...
O SASHA, PASTOR ALEMÃO puro; puro, não só de raça, como de sentimentos, como de acções: o melhor dos melhores, o mais dos mais; tudo o que dele possa ser dito será sempre de menos para o descrever, tudo quanto dele possa ser lembrado será sempre insuficiente perante o tanto que ele foi e que deu a todos quantos com ele tiveram o privilégio de conviver nos breves onze anos e meio que teve a nobreza de nos dispensar...
Três amigos que me esperam
Para quando eu chegar, não ficar só...
Pai do Marco

Luis Sardinha disse...

Ainda não senti na pele a sensação de perder alguém de quatro patas tão querido como o Sasha é para ti mas ler as tuas palavras e tentar por-me na tua pele dá-me um sofrimento tal que me vêm as lágrimas aos olhos...

A nossa sina é ve-los nascer, educa-los, aprecia-los e por fim ve-los sair das nossas vidas... umas vezes mais rápido do que outras.

Quando conheci o Sasha fiquei espantado pelo seu tamanho mas também com a sua inteligência e educação. Ele foi a minha inspiração para me empenhar a educar bem a minha porque queria ter um cão tão bem educado quanto o Sasha...

Só me resta dizer: "Os meus sentimentos"
Algo que se diz a pessoas que perderam um ente querido. Muitas pessoas não compreendem como é possível comparar um cão a um ser humano mas voçês sabem que faz todo o sentido...

Anónimo disse...

Meu GRANDE GRANDE querido amigo e companheiro, pensei que hoje (o dia a seguir a teres partido), a dor e as saudades que sinto não fossem tão grandes, mas são ainda maiores(se é que isso é possível). A nossa casa não parece a nossa casa, faltas lá tu. E eu morro de saudades tuas.
Tu que me seguias para todo o lado, como uma sombra. Sei que estavas a sofrer e que tinhas que partir.
Até um dia meu BOM e QUERIDO AMIGO.
Vais ficar para sempre no meu coração.
Mãe do Marco

Mary Xu disse...

Como eu te compreendo. A perda dos nossos amigos de 4 patas é sempre muito dolorosa. Apesar de muitas pessoas não o compreenderem... E que pobres que são essas pessoas por não conhecer a amizade entre um humano e um animal como um cão.
Lembra-te só das boas recordações que o teu amigo te deixou.

Beijinhos

Eli disse...

Olá!

Sabes, nunca me afeiçoei a animais, pois tive uma educação virada para tal. No entanto, mesmo assim entendo bem o que descreves, porque trata-se de sentimentos puros e disso já entendo eu!

Lamento muito e sinto com pesar as palavras deixadas aqui... a morte já "me" apanhou de surpresa e deixar alguém, mesmo que acabamos por nos habituar, há sempre uma saudade.

Abraço.

Rui Serodio disse...

Linda a mensagem que dedicaste ao teu amigo Sasha. Já passei pelo mesmo e sei o que doi.
Rui Serodio