quinta-feira, junho 19, 2008

Confiança e Esperança

Vivemos numa era em que depositamos as nossas esperanças nas mais variadas coisas. Embora cada vez transpareça mais que o difícil é ter confiança em nós próprios, não temos qualquer dificuldade em fazer com que uma festa popular ou um europeu de futebol tome conta dos nossos corações e dite a nossa disposição para o dia a dia. Essas estranhas forças movem-nos de formas inexplicáveis pela lógica. Fazem qualquer trabalhador sair mais cedo, qualquer patrão permitir que tal aconteça, cria hordas de automobilistas a caminho de um qualquer lugar onde possam ter acesso a uma televisão, levam multidões à loucura em locais públicos e, quando o fim (bom ou mau) surge, é hora de voltar cabisbaixo à rotina do nosso quotidiano. Quão mais interessante (não necessariamente mais fácil) seria depositar este tipo de energia num qualquer outro objectivo, pessoal ou profissional, e vivê-lo com o mesmo ânimo? Poderíamos até ter a sorte de esse ânimo ser vivido justificadamente, pelo que daí pudesse advir. Mas muitas vezes estas pequenas coisas que vamos fazendo e que acabam por ditar o nosso futuro, são experiências que passam incólumes à nossa própria emoção, isentas de qualquer descarga de adrenalina. Posso dizer no que concerne a minha experiência própria, que ao longo dos últimos anos senti este tipo de emoção em alguns acontecimentos. A única diferença é que nem sempre os outros estão preparados para os viver de uma forma colectiva e partilhar a nossa alegria. E aí é que reside o busílis da questão: este tipo de energia gera-se mais facilmente quando em grupo, mas será que perdura da mesma forma? Penso sinceramente que não, e desafio qualquer um que discorde a olhar os eventos realmente importantes (para si próprio) de uma outra forma... a festejar essas ocasiões com outro ânimo... esse exercício vai servir certamente para ver tudo o resto por uma perspectiva diferente... uma perspectiva melhor.

4 comentários:

apenas um gajo... disse...

é muito preocupante o meu 'sítio' ser considerado com nível...

um bem-haja

Eli disse...

:)

Hmmmm se a energia positiva fosse usada, haveria em maior quantidade.

Sentir emoção é, sem dúvida a parte mais convidativa do teu texto...

Deusa Odoyá disse...

Oi meu novo e etimado amigo Marco.
Passei para conhecer seu blog e desejar um bom domingo com muita paz e amor em seu coração.
fique na paz.
Sua nova amiga.

Regina Coeli.

Te aguardo no meu cantinho.

Luis Sardinha disse...

Se queres saber eu tenho alguma dificuldade em entrar nesta onde de histerismos colectivos. Como gosto de futebol e gosto de ver Portugal tenho alguma motivação para acompanhar os Euro e os mundiais mas não consigo fazer nem compreender mto bem porque é que as pessoas vão atirar-se do marquês de Pombal a baixo ou andar nua no carro a festejar o que quer que seja. Prefiro um bom convivio com amigos.
Se usassemos mais essa energia positiva provavelmente o nosso país seria melhor.

Abraço