quarta-feira, março 28, 2007

Flutuação Temporal

Sento-me no escuro e deixo o vazio abater-se em mim
Como uma brisa matinal fria que me toca no rosto...

Este ar que agora respiro tem um estranho gosto,
Amargo quando a ausência dela parece não ter fim.

Cada hora destinada a partilhar tudo o que temos para dar
é muito pouco para poder revelar aquilo que sentimos...
Cada minuto passado quando sem querer nos afastamos
Azeda os intermináveis segundos que teimam em passar.

Aguardo com ansiedade quase infantil o dia que chegará,
Em que o adeus não surgirá obrigado e forçado entre nós,
E sei que a nossa presença flutuará no tempo, na eternidade.

Escuto os passos de uma vida nova que decerto surgirá...
Caminho ao longo dela como um rio correndo para a foz,
Aguardando o dia em que vou desaguar para a felicidade.

Marco
2007/03/28

7 comentários:

LFM disse...

Muito sentimental...

Marco disse...

lfm: são momentos de inspiração que, confesso, têm a tendência a girar em torno do mesmo assunto...

Kabe Ludo disse...

Clear...
(...)
300 joules
(...)
Clear...
(...)
Com postas destas começo a ver tudo negro...salva o Marco ò Fernando...

(Deves ter um signo da agua, um signo poético...deves deves)

;)

Haja juízo!

Marco disse...

kabe ludo: mmm... como é que eu sabia que este comentário iria aparecer... por acaso tenho um signo da água: "cangarejo", como em "vem de lá um cangarejo..." e o resto já sabes!

;)

Gonçalo disse...

...as circunstancias da vida e tudo o que principalmente nos afecta, por vezes despoletam em nós momentos como o que tu tivés-te...gostei...parabéns!

Kabe Ludo disse...

Olha-me outro que também gosta...
Vocês querem ver que extraterrestres se apodereram dos vossos logins e estão a postar???

Se calhar é melhor chamar a Scully...penso eu de que...

Sunshine disse...

São momentos... a força do Adeus que só a alma que sabe, é que sabe...

Adorei o texto Marco!