sexta-feira, março 09, 2007

Dolce Fare Niente

A arte de não fazer "nenhum" é algo de verdadeiramente elaborado que só se aprende com muitos anos de vida e experiência. Ultimamente tenho sido vítima de várias pessoas numa organização que em geral, abraça esta arte com excelência. Basicamente a melhor forma de ser um destes artistas, é desenvolver ao extremo a capacidade de, sempre que solicitado para fazer algo, gerar uma cadeia que pode ser inexistente na realidade, de acções a desenvolver por outros, da qual a sua depende. Exemplo: para o artista (A) executar uma determinada acção, é necessário que uma série de vítimas (V1 a Vn) desenvolvam outras acções ou sequências de acções (geralmente muito mais complexas) das quais (segundo A) a sua depende. Ou seja, se por acaso uma das vítimas (Vx) for na realidade outro artista (Vx = Ax), então esta tarefa nunca será concluída, porque gera-se um paradigma. Assim consegue-se também a partir de 2 ou 3 tentativas de fazer um A trabalhar, com que deixe de se lhe atribuir trabalho pela forte probabilidade de este nunca vir a ser concluído. Quando os A's começam a ter folga pela ausência de atribuição de trabalho, tradicionalmente começam a ser afectados por um sentimento de aborrecimento. Assim, sempre que possível iniciam eles próprios tarefas insignificantes ou desprovidas de interesse, para sobrecarregar as Vs. A tendência é que as Vs entram em stress ou até mesmo depressão, enquanto que os As estão sempre frescos que nem uma alface, e conseguem ainda ocasionalmente fazer brilharetes com o trabalho produzido pelas Vs. Uma explicação típica sobre uma tarefa, pela perspectiva de um A, seria algo como: "para eu poder 'arrear o calhau', preciso que alguém abra a porta do edifício onde se encontra a casa de banho, preciso que alguém me indique o caminho para a mesma, preciso que alguém coloque o papel higiénico atempadamente e que a limpeza das instalações seja feita em condições pelos responsáveis". Este caso de estudo permitia no extremo, que meia dúzia de pessoas fosse despedida por intermédio de queixa do "artista", caso algo estivesse mal (ex.: falta do papél higiénico) e que eventualmente o artista teria de cagar noutro lado. Aproveito para informar que pretendo gerar o MMAPPV (movimento de morte ao artista pela parte das vítimas), pelo que agradeço inscrições de eventuais interessados.

9 comentários:

Kabe Ludo disse...

Ainda tenho o ultimo post teu presente na memória...desculpa mas não consigo comentar este post...talvez mais para a frente...

daredevil disse...

Após uma análise cuidada da tua teoria, que considero bastante válida de um ponto de vista exclusivamente empírico, proponho a seguinte linha de acção:

bate-lhes!!! dá-lhes chapadas!!! quebra a cadeia!!! vai-lhes às fuças antes que comecem a divergir!!!

Vida Envolvida disse...

Marco, tudo isto para dizer que os "As", são uns cagões oportunistas,que fazem ronha o dia inteiro e que brilham às duras penas dos sobordinados (Vs)!
Mas isto já não é novidade!?
Mesmo assim inscreve-m lá no movimento!

Bjs

Susana P.

Gonçalo disse...

...concordo contigo, no entanto acho que a "culpa" não é inteiramente desses "As", pois eles só fazem o que lhes deixam fazer...quanto ás tarefas deviam ser atribuídas e exigidos timings de execução sob a pena de adquirirem consequências desastrosas. No teu caso, apesar do poder relativo que tens, podes impedir que isto aconteça ao pessoal que tens afecto...e deixa que te diga, a giboia já anda a querer-se enrolar no pescoço de alguns...fica o aviso!...AMIGO.

Kabe Ludo disse...

Já consegui digerir parcialmente o teu penúltimo post, mentalmente quero acreditar que irás brevemente subir(ou descer, não sei, hesito) o teu nível por esta fasquia que aqui te coloco.

O que eu gostava mesmo era daqueles textos redigidos aquando da saída do 'artista' no 'circo' , já me passaram muitos pelas meninas dos olhos que me deram vontade de rir (quase tanto como quando vejo os GF na tv).

Citando um (que também já saiu dai, mas como não era artista, não levou texto do circo) amigo meu, "Ah e tal ele é que inventou o mundo e arredores"

Façamos uma vénia perante tal sapiência e modéstia...(eu sei que a culpa não é deles...são uns brincalhoteiros)

Haja juízo...
(e paciência também)

Vida Envolvida disse...

Dolce Fare Niente ...

... há 5 dias que não "postas" niente !?

Estás a fazer jus ao post!!
;)

Bjs

Susana P.

Kabe Ludo disse...

Yup...já vai sendo tempo de postares qqr coisa...

Sofia disse...

Realmente... estamos à espera!
"jokas" :)

Marco disse...

Pronto pronto... não batam mais no ceguinho! :)