segunda-feira, maio 29, 2006

O Man do Cap

Na qualidade de condutor, observo cada vez mais um fenómeno preocupante na estrada, no que diz respeito ao aparecimento de uma nova "espécie". Gosto de chamar a esta espécie que ainda assim não tenho a pretensão de ter descoberto, pela denominação "o man do cap". Passo a explicar a denominação atribuída. Em primeiro lugar os elementos desta espécie adoptam um estilo único e particular que os distingue de todos os outros condutores. Para começar são geralmente possuidores de veículos adaptados ou "artilhados" visualmente, ainda que completamente desprovidos de motores decentes. Para além do âmbito do veículo, que aliás acaba por ser o menos relevante nesta descrição, temos a atitude do "man". A atitude é considerada o mais importante, pelo que também podemos observar frequentemente a espécie em veículos como Opel Corsa 1.0 ou Citroen AX 1.0 da década de 80. A referida atitude é identificável pela postura, que consiste na permanência da mão esquerda no volante na posição das 12h, acompanhada da mão direita no manípulo das velocidades. Esta combinação proporciona um efeito semelhante à condução de veículos de competição em que a mudança de velocidades é efectuada no volante a qualquer momento. Conjugada com estas características está a posição do condutor, caracterizada por uma pose "marreca" para o lado direito, que o lança para o centro do veículo. Uma vez mais esta posição é herdada dos veículos de competição monolugares, em que o condutor está numa posição central em vez de lateral. Por último, a derradeira característica do "man" é o boné que o acompanha de dia e de noite, mas ao qual o próprio não chama de boné, mas sim "cap" (carica ou tampa, em português). Esta carica tem também as suas origens no mundo da competição, uma vez que é o mais próximo de um capacete que estes espécimes conseguem arranjar. Lanço por fim um alerta pois esta espécie é perigosa, uma vez que executa durante a condução manobras inesperadas e sem qualquer tipo de sentido, o que coloca frequentemente os outros condutores em risco. Se vir um "man do cap", evite-o e comunique este facto às autoridades competentes.

3 comentários:

Luis Sardinha disse...

Outro aspecto importante nesta espécie são a colocação de luzes azuis no seu autmóvel.

No entanto, esta caracteristica é dificil detecção uma vez que existe outra espécie já existente à muitos anos denominados de BT. Uma raça também ela perigosa mas inimiga da primeira.

Para mais informações relativas a estas espécies, visitar a ponte Vasco da Gama, ou a Av. 24 de Julho num sábado à noite.

Dani disse...

Esses men dos cap, flutuam sobre uma substãncia etérea, de tons azulados, denominada luz negra...
E parece-me que o cap, tem algo a ver com o sol da meia-noite...
Acho que o melhor é telefonar para a secção X-files do FBI...

Marco disse...

Acho que o melhor é ligar à BT e à PSP para observarem mais de perto os "popós" sob essa luz negra...