sexta-feira, janeiro 13, 2006

Há Lodo no Cais...

"Há Lodo no Cais": título de um filme que conta com a representação de Marlon Brando... e agora a única frase que me ocorre quando penso no meu país... quando penso que o meu país é esse cais, e que nesse cais não só há lodo como também uma porcaria tão asquerosa, que nem existe um nome minimamente aceitável para a descrever. Todos os dias conseguimos ver pessoas e instituições a cometer atrocidades contra valores como a democracia e a liberdade, que uma geração que não foi a minha (e ainda assim eu sei dar valor) lutou tanto para tornar realidade, e que agora perdem dia após dia o seu significado. A sensação do "ninguém está a salvo de..." emerge e as pessoas começam a andar aterrorizadas (faz-me lembrar qualquer coisa...). Costuma-se dizer que quem não deve, não teme, mas na realidade não é bem assim. Eu temo e sem dever. Temo por acusações falsas que me possam fazer, temo por me cobrarem dívidas que eu nem imagino ter, temo por não saber ao certo o que devo temer. O que me aterroriza ainda mais é saber que daqui para a frente vai sempre piorar. Isto porque não consigo sentir qualquer confiança por ninguém que possa vir a tomar o leme de um país que parece perdido para sempre. Isto porque já ninguém se importa ou preocupa com nada... ninguém se importa que o preço dos combustíveis aumente todos os dias, depois de uma privatização de gasolineiras que devia fazer baixar os preços... ninguém repara que na passagem de ano uma portagem qualquer sobe 25 cêntimos em vez de um escudo... ninguém liga que se gerem reacções em cadeia que levem bens essenciais a um preço que poucos podem pagar. Não. O importante é comprar um carro que gaste ainda mais combustível... uma casa com uma prestação que não se consegue pagar... e continuar a nadar alegremente no meio do lodo e de toda a porcaria que nos rodeia. Perante este lodo, eu vomito. Vomito em cima das empresas com monopólios e que se aproveitam disso. Vomito em cima de quem abusa do poder. Vomito em cima de quem se julga acima da lei. Vomito no processo da Casa Pia. Vomito na prepotência e arrogância de quem se devia curvar perante um povo a quem devia servir, mas nem sequer pergunta a opinião sobre nada. Vomito em quem é incompetente, quem não sabe o que faz e quem não tem emprego mas não quer fazer nada na vida senão passear alegremente pelos centros comerciais em pleno dia de semana e horário de trabalho. Gostava de conseguir nadar para longe deste lodo... mas não consigo... prende-me as pernas... ou será que na realidade gosto tanto do cais que não me consigo afastar dele? Acho que mesmo agora ainda tenho a esperança que venha uma corrente e leve este lodo todo, deixando o meu cais banhado apenas com a água mais cristalina que se pode imaginar...

3 comentários:

daredevil disse...

Já agora chega-te um bocadinho para o lado que eu junto-me a ti e vomito em quem inflama e prolonga esse temor até aos limites, contribuindo para a confusão generalizada.

Eilahtan disse...

Infelizmente, não há ninguém para limpar o vomitado...

Luis Sardinha disse...

O grande problema de não conseguirmos nadar para longe deste lodo são apenas e somente as raizes que criamos. Concordo inteiramente contigo mas as únicas coisas que dão cor à nossa vida estão neste lodo connosco e mesmo que consigamos nadar sozinhos não somos capazes de os levar a todos connosco...

É triste mas é verdade.

Eu sou um pouco pragmático nestas coisas e detesto armar-me em protestante e depois não fazer nada para melhorar as coisas. Mas somos demasiado poucos e sem f€rram€ntas para limpar este lodo que nos rodeia.