terça-feira, janeiro 02, 2007

Ano Novo, Mesma Vida

Ano novo, vida nova... é o que a malta tem a mania de dizer... Eu cá sou um bocado do contra (como provavelmente já muita gente reparou) e arrisco-me a dizer: ano novo, mesma vida (pelo menos). É um facto que o ser humano é insatisfeito por natureza, mas julgo que na passagem de cada ano, para além de inevitavelmente lembrarmos algumas coisas más, e desejarmos que o ano seguinte seja melhor, é ainda mais importante rever as coisas boas. Durante o ano transacto consegui ter saúde, trabalho e (algum) dinheiro. Consegui estar rodeado de quem mais gostava (não tanto quanto gostaria mas tanto quanto foi possível, o que já não foi mau). Consegui viver alguns momentos de descontracção, de felicidade e de emoção. Senti que ajudei pessoas e que fui ajudado também. Por isso, julgo que é muitas vezes errado e mesmo um pouco ingrato da nossa parte, fazer análises com resultados negativos retumbantes. Dou o seguinte exemplo: recusei-me, durante o dia 1 de Janeiro, a ver toda e qualquer notícia a alertar para aquilo que vai piorar em 2007 (combustíveis, impostos, blá blá blá...). Há certas coisas que podemos não gostar, não aceitar e até reclamar, mas não é por isso que elas vão mudar (atenção que não estou a dizer que devemos calmamente aceitar que façam de nós "gato sapato"). Consegui assim fazer perdurar o sentimento de alegria de uma pequena festarola feita em casa, em que éramos poucos mas mesmo muito bons, e em que a boa disposição e entretenimento foram de tal forma que mais um pouco e deixávamos passar a meia noite sem nos apercebermos! A contagem decrescente final foi manhosa e parecia um anúncio da Super Bock, mas não nos deixámos enganar. Os vários (todos) "artistas" presentes deram um ar da sua graça durante a noite, exibindo os seus dotes vocais (e alguns, os seus dotes para a dança). Foi pena a garrafa de litro e meio de Murganheira que ao fim de 16 anos, tal como era temido, murchou e morreu. Mas ainda assim valeu o Fita Azul e o Raposeira que não nos deixaram ficar mal. Um grande bem haja para que todos os que estiveram presentes. E também neste caso desejo que o final de 2007 seja pelo menos tão bom quanto o de 2006 o foi.

PS: já me esquecia do meu desejo tradicional: que todos os desejos das misses se realizem!

8 comentários:

Luis Sardinha disse...

Até ler o teu post tinha a ideia que dizes que todos temos... depois de o ler verifico que tens razão mas mesmo assim acho que foi um pouco negativa. E espero mesmo que este ano me corra melhor do que o anterior... ;)

Um grande abraço para ti e para todos os leitores deste espaço.

Ah! e que todos os desejos que as misses DIZEM se realizem, porque se for os desejos que elas efectivamente desejam...

Marco disse...

Luis, não acredito no destino, na acepção que a palavra costuma ter. O destino é algo que construímos e o que viveste este ano faz parte da construção do teu. No final de contas aquilo que te aconteceu pode ter sido pelo melhor (acredito sinceramente que sim). Como diz o ditado, há males que vêm por bem...

Sónia disse...

Oi, que privilégio ser a primeira a comentar o teu texto bebé de 2007, ainda que as reminiscências do passado se espumem por toda a parte. Também estive na maravilhosa festa da passagem de ano,apesar de só "30 por cento" de mim ter estado presente,peço desculpa a todos os presentes por isso, mas quando o corpo não tem juizo, a mente é que paga. Também adorei ter estado com todos vocês, pessoas tão naturalmente simpáticas, isentas de qualquer futilidade e presunção. Queria ter sido outra, queria ter tido outra voz, mas o passado pôde mais que eu. Desejo um 2007 pleno de felicidade, mas para isso já sabem: não podem andar de transportes públicos, comprar pão, acender as luzes, abrir as torneiras, tomar uns valentes banhos de imersão,podem sim reciclar a vossa própria roupa, continuar a piratear bons filmes, dizer mal do governo, porque por enquanto a ditadura ainda está disfarçada de democracia, escrever blogs, e muitas outras coisas que não me ocorrem agora, mas hão-de ocorrer-me certamente.
Beijocas grandes para ti e a para a Sofie

sónia disse...

OOpsss, olha afinal não fui a primeira, ainda sou muito leiga nestas coisas...lol

LFM disse...

No meio de tanta miséria, sim, pelo menos como foi o 2006.

Kabe Ludo disse...


Well, its one for the money,
Two for the show,
Three to get ready,
Now go, cat, go.

But dont you step on my blue suede shoes.
You can do anything but lay off of my blue suede shoes.


Ou num belo português, não pises os meus belos sapatinhos azuis de camurça!!!

Grande noite, grande companhia!

Pena ter sido uma reunião C3, tivesse o 4º elemento presente e era uma passagem de ano no mínimo explosiva!

jomaolme disse...

Tens razão...O meu 2006 tb foi bom!Correu-me bem! Se 2007 for igual não fico nada triste!! Mas para mim 2007 vai ficar marcado positivamente ( espero )!!

Feliz 2007 e que todos os desejos pedidos do fundo do coração se realizem...

Gonçalo disse...

...subscrevo o que o Kabe ludo escreveu e acrescento que foi um privilégio estar numa noite tão especial com vocês...até a minha pequena ficou acordada para comer as passas da mãe e dormir logo a seguir...muito bom mesmo....