segunda-feira, junho 01, 2009

Mini Me

Rendi-me ao minimalismo e comprei um brinquedo: o portátil (e é mesmo portátil) Tsunami Moover T10 (passo a publicidade). Andava um pouco indeciso em relação à compra, mas as mega-hiper-super promoções do "eu é que não sou parvo" não deixam ninguém indiferente, e eu não sou excepção à regra. Enquanto andava por lá na minha indecisão entre quais os portáteis candidatos a vir habitar o meu estaminé, tentei sempre manter-me dentro da distância de segurança do famigerado Magalhães. Confesso que aquilo me mete medo... Só de pensar no episódio do meu amigo PO penso no que levará alguém a comprar aquilo sem ser pela teoria dos "pontapés na cabeça" (leia-se, borlas). O episódio consiste concretamente em, na primeira vez que se liga o pseudo-portátil e que o mesmo dá início ao Windows Update, se esgota de imediato a capacidade em disco (esses vastos 30 gigas, previamente ocupados com software decididamente interessante). Já vi pens USB com mais capacidade... Mas enfim, lá sobrevivi e trouxe um computador, pequeno mas respeitável, que certamente será muito útil nas mais variadas ocasiões. Continuarei no entanto solidária para com todos aqueles que não tiveram como escapar ao flagelo tecnológico criado pelo actual governo. Não desesperem, pois certamente um dia conseguirão ter um computador a sério.

5 comentários:

Luis Sardinha disse...

Estes mini computadores dão muito jeito. têm algumas limitações mas servem perfeitamente para 90% dos casos.
Em relação ao Magalhães, só o compro quando precisar de levar a marmita com o almoço para o trabalho...

Kabe Ludo disse...

E tás feliz com o mini Tsunami? Dá para fazer aquela cena de ir ver os imeiles ou tiveste de comprar mais algum acessório? :P

E quanto ao ecran? Não fazes caras estranhas para ler as letras mais pequeninas?

Abraço

po disse...

Só quero deixar aqui uma observação relativa ao Magalhães: os "vastos 30 gigas" não estão todos disponíveis para o Windows - apenas 16 gigas são para o windows - o resto é para a partição de Linux, suponho que porque seria um desperdício gastar tanta capacidade só num s.o. Assim, os crâneos que desenvolveram o Magalhães acharam melhor criar duas partições Windows XP e Linux para aproveitar bem os tais gigas. Dividir o mal pelas aldeias diria eu...

Marco disse...

luis: ouvi dizer que também serve de tostadeira...

kabeludo: o tsunami é "piqueno" mas arrebitado... apesar de não ter net móvel incorporada; o ecrã, dentro do género, não é mau (10").

po: tanto potencial para apenas um sistema operativo era praticamente uma ofensa!

TH disse...

Ahahah esta foi boa :) fez-me rir, eheheheheheheh
se puderes apssa no meu http://croissantdecadadia.blogspot.com