quarta-feira, março 19, 2008

Potencialmente Perigosos

Não posso deixar de aproveitar a última onda de terror promovida pelo governo, em relação a raças de cães consideradas perigosas (este post é dedicado ao meu amigo Luis), para lançar um apelo que julgo fazer sentido quando comparado com as leis que estão prestes a ser aprovadas. Uma vez que se contempla a hipótese de proibir a (pro)criação ou importação de certas raças de cães, por estas serem potencialmente perigosas, parece-me justo que se estenda esta medida a um âmbito mais alargado. Nomeadamente, julgo que seria interessante proibir a procriação entre os humanos também. Considero que somos uma raça extremamente perigosa. Vejamos por exemplo os últimos casos de criminalidade a que assistirmos, com homicídios, assaltos e o famoso "carjacking". Julgo que deveríamos começar todos a ser esterilizados à nascença, em vez de tentarmos educar os nossos filhos para saberem viver em sociedade e a ter um comportamento adequado. Quem o tentasse seria multado ou até mesmo condenado em tribunal. Agora os que concordam com estas medidas estão a pensar automaticamente: "não é a mesma coisa". Concordo. Não é efectivamente a mesma coisa porque não fazemos com que seja. Isto é, a partir do momento em que tiro a carta de condução, sou responsabilizado no caso de infringir as regras de trânsito ou se cometer um crime ao volante. No entanto se for dono de um cão, o conceito de responsabilidade torna-se mais difuso. Nunca assisti a um polícia ou qualquer outra autoridade pedir contas a nenhum dono de Pit Bull ou Rott, nunca vi ninguém pedir qualquer tipo de documentação ao proprietário de um animal (sim, os cães também têm identificação), nunca observei qualquer esforço significativo no sentido de certificar treinos de obediência deste ou outro tipo de animais de estimação, que poderiam até determinar a forma como estes animais podem circular na via pública (açaimes e afins não são a meu ver obrigatórios em todos os casos). Existe um grande vazio, legal e moral, quanto a esta questão. No entanto parece-me que tentar eliminar um problema não é a mesma coisa que resolvê-lo. E o "eliminar" é relativo, porque da mesma forma que existem proprietários deste tipo de animais que já se encontram à margem da lei, após a entrada em vigor de uma proibição deste género, o problema vai manter-se inalterado (senão agravado). Mais uma questão de demagogia a que tão bem estamos habituados.

2 comentários:

Luis Sardinha disse...

Antes de mais obrigado pelo post! :)

Concordo em absoluto contigo.
Se alguém quiser ter (ou passea-lo na rua) um cão com mais de 20Kg deveria ser obrigado a passar anualmente a um teste de sociabilização. Assim obrigávamos as pessoas a educar bem os seus cães (se não quiserem faze-lo comprem um aquário).
Para os donos que não cumpram a regra multem-nos mas multem-nos bem.
Agora dizimar uma raça só porque os donos são estúpidos ou incapazes de educar um cão como um rott é algo que me deixa triste e revoltado.

Sunshine disse...

Amigo Marco, és daquelas pessoas que tem um dom especial de conseguir por as coisas em perspectiva de forma que toda gente consiga ver "the big picture", que nunca percas essa qualidade!

Em que diz respeito ao assunto propriamente dito, concordo contigo plenamente - quem deverá assegurar a educação, sociabilização e meios de segurança do cão (açaime, seguro etc) é o dono. O dono (raça superior?) é que deverá ser responsabilizado pelo cão e as suas obrigações com o cão...

Em relação aos seres humanos... amigo, já há anos que eu digo que certos ser humanos deviam de ser priobidos de procriar! Será que de futuro o Governo se aperceba disso e para o bem da economia e raça humana em geral cria leis tipo:
Só pode ter filho caso tenha um salário acima de X€, também deverá ser sujeito a uma análise psicologica de forma a avaliar se tem capacidades para educar uma criança.
Acho que os professores iam adorar a possibilidade de expulsar as crianças violentas, mal criadas e indisciplinadas das escolas e entregar a educação dessas mesmas crianças ao pais... hehehe

Já agora também propunha testes psicologicos com poligrafos aos politicos...

Beijo Enorme