quinta-feira, setembro 07, 2006

Fundo de Desemprego

Deixo aqui hoje ao caro leitor mais um post para fins educativos. Julgo que temos muito a aprender com o Brasil no que diz respeito a políticas para combate ao desemprego, e está é uma boa prova disso: devido ao processo de falência da transportadora aérea Varig, vários dos seus trabalhadores têm vindo a ser dispensados. Desta forma, um singelo grupo composto por três hospedeiras de bordo ou assistentes de vôo ou lá como raio se chamam (nunca sei...), resolveu não cruzar os braços e toca de ir à luta. O resultado final: uma bela de uma proposta para posar na edição de Setembro da Playboy Brasil. Julgo que esta é uma iniciativa de louvar, e por cá deveríamos seguir este exemplo. Obviamente que teria de ser feita uma selecção de modo a não ferir susceptibilidades com imagens de um qualquer trambolho. Aventesmas são dispensáveis... No entanto não nos podemos esquecer de que estamos em Portugal. Provavelmente se fosse cá, de imediato a segurança social retiraria o subsídio de desemprego às moças, o IRS aplicaria o escalão mais elevado para dar a "talhada" ao montante recebido e no final, como se não bastasse, ainda seriam alvo de uma auditoria das finanças para perceber de onde vinha o dinheiro. Enfim, até para se ser desempregado é preciso ter sorte (e sobretudo não viver em Portugal). E viva o desemprego (...no Brasil)! É caso para dizer: "g'andas aviões!!!" (ver foto).

4 comentários:

Luis Sardinha disse...

Este post é mesmo muito bom!
Eu adoro aviões...

Abraço

kabe ludo disse...

luis sardinha...Eu também ;)...

(o que é que foi? Se me conhecem, sabem qual o meu hobby!)

Já sei...tem mazé juizo

LFM disse...

Por vezes o desemprego faz nascer a vocação a muito boa gente...

kabe ludo disse...

Parece que estou a ver...com os cortes e redução de pessoal na função publica...aquelas velhinhas simpáticas que, por exemplo, nos atendem nas repartições de finanças a fazerem o mesmo...medo....muito medo!


PS Ao 3º comentário no mesmo post tenho direito a um café pago? É que se tiver trata-se já disso!