quarta-feira, janeiro 06, 2010

Uma Questão de Prioridades

Durante o escasso tempo que posso nesta fase da minha vida dedicar a ver televisão, grande parte acaba por se centrar nos noticiários. Nesse curto período de tempo que dedico a manter-me minimamente informado sobre o que se passa no mundo, recentemente cerca de 90% diz sempre respeito a um único assunto, considerado o tema mais relevante em discussão pela classe política nacional: o direito à adopção por casais gay. Sem desmerecimento para os casais, gays ou não gays, para todos os que querem adoptar, e para os que necessitam ser adoptados, algo cheira mal quando, no início de um ano que sucedeu um 2009 de crise, que se antevê também de crise e para a qual não existem medidas de combate estabelecidas, este é "O" tema do momento. O próprio PR não hesitou em fazer o ponto de situação mais negro de sempre relativamente à situação geral do país, e nem assim o PM se coibiu de fazer o discurso oposto. O mais triste é que tanto o governo como a oposição estão de acordo que a adopção é o tema mais importante a debater (talvez devido à inaptidão de ambos para governar). Considerando também que em Portugal, quem manda, são os "lobbys" e que o maior "lobby" é o gay, faz também sentido que este seja um tema em cima da mesa. Só não percebo porque tem que ser dado tempo de antena a este debate. Não percebo porque não pode ser questionado, quem debate, sobre outros temas. Não percebo porque é que ninguém vê que, por exemplo, o sector da banca se muniu de meios, durante o ano anterior, para fazer ainda mais estragos à economia do que os que já tivemos oportunidade de ver. Resumindo, estou com o PR no alinhamento que dá aos temas que deveriam estar em discussão, com uma visão realista (nem pessimista nem optimista) do estado... a que chegámos.

3 comentários:

Luis Sardinha disse...

Se não tivéssemos este assunto tão importante iam discutir o quê? a corrupção? o péssimo estado onde se encontra o país?

Kabe Ludo disse...

Não critiques o PR pà...ou ainda não ouviste o noticiário dizendo que ele vai condecorar o Santana Lopes com a grã-cruz da ordem de Cristo?

Num pais em que as condecorações são feitas a pedido e tendo em conta o condecorado, tudo é possível!

A mim desde que me prometeram uma (nem sequer uma condecoração, um singelo louvor) pelo trabalho desenvolvido e depois de sair de onde sai me terem dito para não 'pedinchar' senão é que não a tinha mesmo, resta-me deixar um comentário/provérbio:

"Quem não chora não mama!"

PS Dizem as màs-linguas que agora aquilo por lá parece o túnel da Luz...haja juízo!

Marco disse...

luis: péssimo estado? não sei a que te referes...

kabeludo: o PR Cavaco limita-se a seguir as pisadas do seu predecessor, também conhecido neste estaminé por "Zé das Medalhas"...