quinta-feira, março 24, 2011

O Erro de Sócrates

Se Descartes cometeu um erro, Sócrates cometeu muitos mais. E independentemente de tudo o resto, sinceramente já estou farto, até porque errar (tanto) não me parece humano. O futuro não parece nem mais nem menos promissor com a queda de um governo, nas circunstâncias que hoje se apresentaram. Até porque o futuro próximo será ficarmos igualmente na merda, com políticos igualmente merdosos a dirigir o país de forma merdosa. O ping pong do centrão vai continuar sem maioria absoluta, o FMI vai tomar conta do país e vamos todos ficar com um andar novo, que é como quem diz lixados com F grande. Mas empalados de tão lixados que temos sido já todos andamos, por isso vale mais um empalamento pela parte de quem não seja tão fervorosamente adepto de boys e jobs, ou jobs for the boys, e que não tenha a pretensão de após uma intervenção política no país ter direito a ser gestor de uma empresa com participação pública. Por este e outros motivos semelhantes, se isto é o que é preciso para mudar alguma coisa, baixo já aqui e agora as calcinhas (ainda que preferisse não ter de o fazer). Quem deveria baixar as calcinhas não era eu, e provavelmente não seria o caríssimo leitor. O problema é que quem as devia baixar, muito provavelmente até iria gostar. Assim, venha o diabo e escolha (eu acho que já escolheu...). Resumindo, acabou-se a estabilidade que estavelmente nos estava a levar ao fundo, resta agora bater no fundo de forma instável, e ter esperança que uma qualquer bóia nos traga ao de cima. Infelizmente não estou numa noite de escrita com vertente optimista, por isso acho que vamos continuar a cheirar e provar do mesmo, mas nunca sem pisar!

3 comentários:

Luis Sardinha disse...

100% de acordo contigo.

Susy disse...

Não tenho mais nada a acrescentar...

Marco disse...

luis: acho que não és o único...

susy: ... e o pior ainda está para vir!