domingo, maio 30, 2010

O Vício da Fama

Desde pequeno que oiço uma máxima que cada vez mais considero ser verdade: "não interessa que se fale bem ou mal, o que interessa é que se fale". Pelo menos é assim que hoje em dia uma grande maioria das pessoas rege a sua vida. Há umas semanas atrás lembro-me de ter assistido a uma reportagem televisiva sobre uma pobre coitada professora de uma terra do "enterior desquecido e ostracizado" que teve de se despir para uma revista masculina, de forma a ganhar mais uns trocos (cerca de 800 euros) para sobreviver, já que o ordenado que auferia nem chegava aos 500 euros mensais. Em consequência desse acto tinha sido impedida de continuar a dar aulas (bandidos!). Mais recentemente cruzei-me com uma outra referência a esta pobre professora, numa revista com menos nudez que a Playboy, onde a sua história era contada com mais detalhe. Parece que a dita professora sempre teve uma obsessão com a fama, que neste momento já atingiu. Actualmente, atende o telefone a dizer que "se querem que fale, paguem"! É mais uma "relações públicas" de bares e eventos sociais. Além disso tinha já sido concorrente de um reality show onde - por amor, claro - tentava conquistar um suposto ricaço que afinal não o era e... que não conhecia. Felizmente agora esta professora poderá sair da miséria em que vivia, e os seus papás até poderão deixar de ter de lhe pagar as recargas de silicone e os cerca de 300 euros mensais que gasta só em manicure todos os meses (imaginem o que alguém que ganhe mais do que o ordenado mínimo poderia gastar). Resumindo e considerando, palavras ditas, escritas (inclusivé por mim) e mal empregadas, aplicando outras palavras um pouco mais cruas, trata-se de apenas mais uma gaja boa que mostrou as mamas e não só para arranjar forma de viver o resto da vida sem fazer nada que se aproveite (acho que o facto de deixar de dar aulas não será propriamente relevante). Pessoalmente, posso dizer me estou a borrifar para estes puritanismos todos, que aplaudo todas as mulheres que tenham atributos suficientes para aparecer na Playboy, e que ainda assim esta em particular não me levou a comprar a revista...

4 comentários:

Luis Sardinha disse...

A mim também não, mas pelas fotos até acho que vale a pena... Bem mais do que a Ana Malhoa por exemplo.

Eu Mesma! disse...

Pois...
eu ainda oiço muitas vezes a bela da expressão...

e sinceramente....
já nem sei se concordo ou nao com a expressão.... quanto às fotos... sem comentarios...

ACCM disse...

30 de Maio /14 de Julho... Grande preguicite!!! é mentira, eu sei que não, porém hoje é o dia e falta aqui o artigo correspondente, daí eu vir agora inserir este lembrete. Não tem nada a ver com o artigo, até porque o mesmo se refere a uma personagem de PHOTOSHOP, enquanto tu és bem real. Queria apenas deixar aqui expresso o meu orgulho por seres quem és, o que significa que também eu não falhei na minha missão...
Beijinhos por mais este aniversário.
O não anónimo pai do Marco (eh, eh, eh, eh)!

Eli disse...

O que diz o teu sorriso?

:)